Mídias digitais, um mundo sem memória

Uma das características da era da mídia moderna – pelo menos para quem usa demasiadamente as mídias digitais – é que estamos cercados por vastas nuvens de informação em rápida transformação, seja via blog, links no Twitter ou atualizações no Facebook. Isso é ótimo se você gosta de conteúdo em tempo real, mas há uma falha não-tão-secreta: você pode não encontrar a mesma fonte duas vezes. Em outras palavras, grande parte da informação pode (e provavelmente vai) desaparecer em decorrência do intenso fluxo de atualizações. Com isso, pequenos pedaços da história se perdem.

Ótimo texto do blog Gigaom. O site aproveita a deixa de um estudo recente para explorar o assunto, algo que pode estar se transformando num problema substancial.

About these ads